História

As origens da Universidade do Porto, UP, estão ligadas ao conhecimento e economia do Mar e remontam a 1762, com a criação da Aula de Náutica por D. José I. Ao longo dos séculos XVIII e XIX várias escolas ligadas à Marinha e ao Comércio deram resposta às necessidades de pessoal qualificado na área naval, no comércio, na indústria e nas artes. A UP foi constituída formalmente em 22 de Março de 1911 e durante largos anos a visibilidade dos estudos sobre o Mar pertenceu sobretudo à área da Biologia da Faculdade de Ciências, na continuação do impulso dado por Augusto Nobre, um sistemata que foi Reitor e Ministro da República.

Se, numa fase inicial, a UP surge estruturada em duas faculdades (Ciências e Medicina), assistiremos ao longo de todo o séc. XX a uma diversificação de saberes e autonomização de escolas. Ainda durante a 1.ª República, surgirá em 1915 a Faculdade Técnica (rebatizada em 1926 de Faculdade de Engenharia, FEUP), em 1919 a Faculdade de Letras e em 1925 a Faculdade de Farmácia.

Após a revolução de Abril de 1974 e até ao fim do século, a UP entrará finalmente em expansão. Às seis faculdades existentes juntaram-se mais oito: Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (1975), Faculdade de Desporto (1975), Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação (1977), Faculdade de Arquitetura (1979), Faculdade de Medicina Dentária (1989), Faculdade de Ciências da Nutrição e da Alimentação (1992), Faculdade de Belas Artes (1992) e Faculdade de Direito (1994). Hoje, a UP conta com catorze faculdades e uma escola de pós-graduação, a Escola de Gestão do Porto, criada em 1988 e cuja designação atual é Porto Business School.

Em 1981, foi criada no ICBAS – Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar a Licenciatura em Ciências do Meio Aquático com o suporte do INIP – Instituto Nacional de Investigação das Pescas (atual INIAP), com a participação de alguns investigadores e técnicos especializados exteriores à Universidade, que acentuaram o seu carácter tecnológico. Paralelamente, desenvolveu-se atividade em diversos sectores da engenharia, nomeadamente da engenharia hidráulica (IHRH – Instituto de Hidráulica e Recursos Hídricos), cujos docentes/investigadores, quase todos da FEUP - Faculdade de Engenharia da UP, efetuaram trabalho de relevo no domínio das obras marítimas e da gestão da zona costeira.

Com a criação de diversos centros de investigação, nomeadamente o ISR – Instituto de Sistemas e Robótica, o INEGI – Instituto de Engenharia Mecânica e Gestão Industrial, e INESC Porto – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto, outras áreas da engenharia igualmente relacionadas com as tecnologias marinhas, tais como a robótica, os novos materiais, as tecnologias da informação e da comunicação, foram-se impondo a nível nacional.

Sensivelmente na mesma época (1991), foi criado o IMAR – Instituto do Mar, com sede na Guia (Cascais) o qual integrava 2 grupos da UP pertencentes a unidades orgânicas diferentes (FCUP – Faculdade de Ciências da UP e ICBAS) juntos pela primeira vez no IMAR – Polo do Porto.

Seis anos mais tarde, o IMAR – Polo do Porto autonomizou-se da rede IMAR e criou o CIMAR – UP, Centro de Investigação reconhecido pela FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia. Em 2000 e face ao aumento do volume de projetos desta unidade, sediada na Reitoria da U. Porto, foi sugerido aos docentes/investigadores a criação de uma entidade privada sem fins lucrativos para efetuar a respetiva gestão. Foi assim criado o CIIMAR- Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental, com 40 sócios individuais (docentes ou investigadores da UP) e 3 sócios coletivos (UP, FCUP e ICBAS). Dois anos mais tarde (2002), em conjunto com o CCMAR – Centro das Ciências do Mar do Algarve, foi obtido o estatuto de Laboratório Associado (CIMAR-LA). Vários grupos mais pequenos mas de elevada competência foram coalescendo no CIIMAR, nomeadamente nas áreas da química (FCUP e FFUP – Faculdade de Farmácia da UP), engenharia costeira (FEUP), deteção remota (FCUP).

Face a esta diversidade de competências multidisciplinares dispersas, a UP decidiu criar um Centro de Competências para a Ciência e Tecnologia do Mar, mais tarde designado por OCEANUS, Marine Research & Innovation, com o intuito de promover sinergias entre os diferentes grupos de investigação e ensino, procurando uma melhor articulação entre eles e uma localização próxima do Mar.

A formalização deste Centro de Competências ocorreu a 17 de junho de 2011, com a assinatura do Protocolo de Colaboração “POLO DO MAR DA UP” entre a UP, o CIIMAR, o INESC PORTO, o INEGI, a UPTEC e o IPP.

Nos dias 23 e 24 de setembro de 2011, decorreu o Primeiro Encontro de Centros e Unidades de I&D da UP, onde foi debatida a estratégia para o Mar e do qual resultou o documento estratégico “Plano de Desenvolvimento do Polo do MAR da UP, Uma visão para o Futuro”.

Em 17 de fevereiro de 2013 foi efetuada a nomeação dos representantes para a Comissão Instaladora do “POLO DO MAR DA UP” Já em 2014, a 23 de janeiro, por despacho nº GR.06/01/2014 da Reitoria da UP, foi aprovado o Regulamento da “Rede de Investigação Oceânica da UP, UP Ocean Research Alliance”, posteriormente designada por OCEANUS, Marine Research & Innovation. A 28 de janeiro, por despacho nº GVR.005/2014 da Reitoria da UP, foi nomeado o Diretor da OCEANUS.

A 4 de fevereiro de 2014, na primeira reunião do Conselho Coordenador da Rede de Investigação Oceânica da UP, foi aprovada a Constituição da Comissão Diretiva, proposta pelo Diretor e composta por seis Vogais.

Através de um acordo com a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), foi possível instalar o OCEANUS dentro do Porto de Leixões.

Este projeto é um dos Projetos Âncora do Oceano XXI, Cluster para o Conhecimento e Economia do Mar, sendo a Oceano XXI a entidade que dinamiza este Cluster. O OCEANUS ficará localizado no designado Polo do Mar da UP, espaço físico constituído por parte do edifício do Novo Terminal de Cruzeiros de Leixões no Molhe Sul do Porto de Leixões e por um espaço recuperado junto ao Molhe Norte (antigo edifício da Sanidade).

No edifício do Novo Terminal de Cruzeiros ficará instalado o CIIMAR, contando também com uma zona de laboratórios, espaços para divulgação científica e uma Marina Oceânica.

Já a Norte do Porto de Leixões, onde ficará instalada a sede do OCEANUS, o projeto contempla a criação de uma zona de incubação de empresas e uma zona para investigação multidisciplinar na área do Mar. Esta fase do projeto foi terminada em abril de 2014.